quinta-feira, 30 de julho de 2015

Austenland: livro e filme

"As coisas não estão indo tão bem, e cada vez que os homens da sua vida te decepcionam, você deixa o Sr. Darcy entrar um pouquinho mais. Talvez você tenha chegado ao ponto de estar tão ligada à ideia daquele patife que não fica satisfeita com menos”



    Pense em uma mulher que já teve diversas frustrações no amor e relacionamentos, e que acaba desenvolvendo uma certa obsessão pela obra de Jane Austen, onde os romances sempre terminam em finais felizes e os homens são perfeitos cavalheiros. Agora tente imaginar que essa mesma mulher tem a chance de passar 3 semanas em um lugar onde ela pode viver todas as suas fantasias regenciais, acreditando que assim se livrará de sua obsessão. Essa é a premissa de Austenland, livro escrito por Shannon Hale. O livro, que chega ao Brasil como Austenlândia tem 240 páginas e é publicado pela editora Record.

    A personagem principal se chama Jane Heyes, uma mulher na casa dos 30 anos e que é o que chamam de solteirona convicta; acredita que está bem sozinha e assim pretende ficar. Acontece que o que poucos sabem é que ela é obcecada por Orgulho e Preconceito e mais especificamente a adaptação feita pela BBC em 1995, com Colin Firth. E essa obsessão faz com que ela se sinta cada vez mais frustrada em seus relacionamentos, já que nenhum homem que ela conhece chega aos pés do Mr. Darcy.

    Porém uma tia que perspicazmente percebeu o segredo de Jane dá a ela uma oportunidade única: passar 3 semanas em Austenland, uma mansão que recria os hábitos da regência (época de Jane Austen), com direito a roupas de época, passeios em jardins e bordados, e que conta com atores contratados para interpretarem os cavalheiros dos romances do início do século XIX. Apesar de inicialmente ficar em dúvida sobre ir ou não, Jane decide pela primeira opção ao perceber que essa pode ser a sua chance de se livrar de uma vez por todas dessa obsessão que está começando a atrapalhar sua vida.

   Quem sabe após viver um romance com algum ator ela não deixa de lado essa história, e passa a prestar mais atenção aos homens da vida real? Então, ao mesmo tempo em que acompanhamos Jane em sua aventura, ao longo do livro ela nos apresenta a todos os seus ex-namorados e porque cada um desses relacionamentos não deu certo.

Minha opinião sobre o livro (spoilers).

    O que eu achei bem interessante nesse livro é como ele foi desenvolvendo esse conceito de realidade versus ficção, já que no começo fica difícil até mesmo para nós leitores distinguir o que é real do que é atuação lá em Austenland. Também é divertido ir percebendo as semelhanças entre algumas partes da história e a obra de Jane Austen. Adorei poder ver o amadurecimento da personagem ao longo da história, que além de ir refletindo sobre sua paixão por um personagem fictício e as expectativas que ela gera, durante a sua estada em Austenland repensa  sua identidade. Algumas citações do livro exemplifica bem esse desenvolvimento:

“As coisas não estão indo tão bem, e cada vez que os homens da sua vida te decepcionam, você deixa o Sr. Darcy entrar um pouquinho mais. Talvez você tenha chegado ao ponto de estar tão ligada à ideia daquele patife que não fica satisfeita com menos” Molly, p. 13

“Não existe Sr. Darcy. Ou, mais precisamente: O Sr. Darcy seria na verdade um idiota chato e pomposo” Jane, p. 130

“Quero ser feliz. Antes eu queria o Sr. Darcy, pode rir de mim e quiser, ou a ideia dele. Alguém que me fizesse sentir o tempo todo como eu me sentia quando via aqueles filmes.” Jane, p.230

“ Srta Hayes, você parou para pensar que pode ter entendido tudo errado? Que na verdade você é a minha fantasia?” Henry Jenkins p.230
(fim dos spoilers)

Filme:



    O filme é divertidíssimo! Eles resolveram investir mais no tom de comédia do livro e acabaram exagerando na personalidade de alguns personagens, tornando-os caricatos. As mudanças que eles fizeram em relação ao livro pra mim só serviram para que a história fluísse menor. Existem só duas mudanças significativas, como (spoiler) o fato de no livro o Henry Noble ser um ator porém no filme ele ser apenas um professor de história, e também a obsessão de Jane, que no livro é escondida mas no filme escancarada (fim dos spoilers)

Citações do filme:

" É um hobby - Jane
  É bizarro - Molly"

"Eu estou solteira porque aparentemente os únicos homens que prestam são fictícios." Jane

(spoilers)
"Você não me irrita. Me deixa nervoso" Mr. Nobley
" Não importa se você é real ou não. Você foi perfeito" Jane
" Eu sou completamente louco por você" Henry Nobley.
(fim dos spoilers)

Concluindo:

    Em resumo: o livro é divertidíssimo, devorei ele em menos de dois dias, não consegui largar. Acho incrível como a autora trabalha a questão da expectativas que romances podem criar versus a realidade dos relacionamentos modernos de uma forma bem descontraída e cheia de humor. Semcontar que o livro/filme é um prato cheio pra quem gosta da obra da Jane Austen ou é revivalista. É o tipo de história que ao terminar você fica querendo mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião! Não se esqueça de marcar a caixinha do 'notifique-me' ou deixar um email de contato para que eu possa te responder.