quinta-feira, 7 de maio de 2015

Persuasão: Livro e filme

"Não perdoara Anne Elliot. 
Ela o tinha feito sofrer; o deixara e o decepcionara. E pior, ela tinha demonstrado uma fraqueza de caráter ao fazê-lo que, para um temperamento confiante e decidido como o dele, era insuportável. Ela desistira dele para agradar a outros. Tinha sido o efeito de uma persuasão excessiva. Tinha sido fraqueza e timidez." 


Livro:

    O livro conta a história de Anne Elliot, a segunda filha de um baronete à beira da falência que é convencido a mudar-se para Bath para poder manter seu padrão de vida, alugando a casa em que moravam. Anne Elliot, ao invés de ir para Bath é convidada a passar algumas semanas com sua irmã mais nova, que mora em uma cidade vizinha.

    Acontece que a casa de Anne é alugada para o irmão do Capitão Wentworth, homem que 8 anos atrás pediu Anne em casamento mas que ela o recusou mesmo amando-o, porque foi persuadida por uma amiga da família chamada Lady Russel, que estava convencida de que Wentworth não era um bom partido por não ter dinheiro e boas relações.

    Não é imediatamente mas Wentworth e Anne acabam se encontrando novamente. Ele a trata sempre com educação porém com uma certa frieza, enquanto ela age da mesma forma mas em compensação podemos saber o que ela pensa, e como essa situação a deixa angustiada e triste. Já sobre Wentworth pouco sabemos, pois ele está sempre distante.

    No livro, cada personagem nos é apresentado de forma esmiuçada. Austen faz questão de gastar vários parágrafos descrevendo o caráter e personalidade de cada um, o que é ótimo! Um homem vaidoso, como Walter Elliot, uma mulher prática como Lady Russel, uma irmã egoísta, como Mary...são alguns dos julgamentos que ela faz dos personagens. 

    Anne é descrita como uma mulher de aparência comum, sem grandes atrativos, que acaba sendo deixada de lado pela sua própria família quando não pode ser útil (mas diga-se de passagem que na verdade Anne tenta sempre ser útil). É solitária mas ainda assim muito gentil com todos que se aproximam. Algo que a deixa melancólica é o fato de ela já estar passando da idade de casar (tem 27 anos), e estar sem perspectivas de encontrar um novo pretendente. 

    Gosto de Persuasão porque ele também parece ter um tom mais maduro, com uma porção maior de drama, em relação a outros livros da Jane Austen. É possível perceber o clima do livro pela citação que inicia esse post. Não é tão 'água com açúcar' como os outros que li dela (Northanger Abbey inclusive já comentei aqui no blog).

    Nele, Anne reflete bastante sobre a sua escolha e o fato de ter cedido à persuasão. O livro fala bastante sobre arrependimento, e sobre como Anne lamenta ter perdido o que acreditava ser a sua única oportunidade de ser feliz. É bem interessante ir notando o amadurecimento da personagem, que ocorre basicamente através de suas reflexões. 

    A reflexão que o livro traz em relação à persuasão (um tema recorrente na trama) por meio de diálogos dos personagens também é ótima. Jane Austen tem um talento especial para dizer muito da história apenas pelas conversas entre seus personagens. Para mim, a 'lição' do final é que você não precisa necessariamente se rebelar contra tudo e todos, mas que ter firmeza de caráter e manter-se fiel a seus sentimentos é essencial.

Citações do livro:

    "Agora, eram estranhos um ao outro; não, pior que estranhos, pois nunca poderiam se tornar próximos. Era um estranhamento perpétuo." 

    "Estou entre a agonia e a esperança"

    Persuasão foi publicado postumamente em 1817, sendo o último livro que Jane Austen deixou concluído. 


Filme de 1995


    Pra mim o destaque dessa adaptação é a fofura da atriz que interpreta a Anne. Ela representa bem a personagem como é descrita no livro, como uma mulher que já não é tão nova porém é bastante gentil e prestativa. 


   O figurino é bem caprichado e é possível ver vários spencers diferentes, acessórios para cabelo variado, etc... Fiquei com a impressão de que a Anne Elliot usava bastante tons claros, como azul, o que a deixava com um ar bem inocente. O filme no geral é bem fiel ao livro mas carece de emoção, não achei os atores carismáticos no geral.


Filme de 2007:


    O visual do filme em si é encantador, cheio de belas paisagens e cores vivas. Adorei a forma como a Anne olhava diretamente para a câmera algumas vezes enquanto ela refletia, e acredito que isso dava um ar bem profundo à cena apesar de ser intimidador no começo, rs. As cenas em que ela chorava também eram bem emocionantes. Mas confesso que por vezes me irritava a falta de reação da personagem, a atriz acabava ficando com cara de boba, coitada. Já a Lady Russel estava tão classuda! É bem como imaginei a personagem, como uma mulher mais velha mas e bem elegante. O ator que fez o Capitão Wentworth também foi uma boa escolha na minha opinião, conseguiu transmitir bem a personalidade mais reservada do personagem.  Além do mais, dá pra perceber que os atores que interpretam Anne e Wentworth tem mais 'química' que na versão anterior.


    Nessa versão existem algumas cenas acrescentadas que não estão no livro (como algumas em que o Capitão Wentworth conversa com seu amigo e a cena final), mas para mim essas mudanças foram pra melhor! Não tem como não se derreter com a última cena.
    O figurino desse filme é mais simples e eu diria até que, no caso das roupas da Anne, apagado. Creio que a intenção era fazer para ela um figurino (e penteados) mais básico mesmo como que para destacar a personalidade dela ao invés de sua aparência. Achei a trilha sonora bem bonita, muitas vezes era ela quem deixava algumas cenas angustiantes. Tem uma pequena amostra dela aqui.


    Sim, a versão de 2007 acabou sendo a minha favorita, rs. Achei o filme lindo, com bastante sentimento. Ainda assim acho que a de 1995 também tem seu charme, então, se você for ler o livro recomendo que veja as duas para comparar, ou então assista apenas a versão de 2007 caso seu interesse maior seja em filmes baseados na obra de Jane Austen. 

4 comentários:

  1. Eu vi a versão de 2007, mas vejo tanta endeusando a de 1995 que, confesso que estou bem curiosa!
    Comprei o livro, e estou pra começar a ler... Não sei se vou amar como amo as outras histórias de Jane, pq eu acho a historia de Persuasão muito mais triste que as outras...

    P.S. Li tudo, viu! Cadê meu cook? :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, também achei que iria gostar mais da versão de 1995. Acho que gostam mais dela por ser fiel ao livro mesmo.

      Bem, espero que goste! O que me atraiu nesse livro foi justamente o drama, adoooro.

      Te devo um cookie! ;)

      Excluir
    2. Isso é uma coisa que tenho notado nas adaptações das obras de Jane Austen. As versões dos anos 90 produzidas pela BBC são muito mais fiéis aos livros do que as da decada seguinte. Salvo Mansfield Park de 99 que não foi feito pela BBC e parece que mudou muita coisa do livro. Preciso ler tb!

      Excluir
    3. Verdade, parece ser uma tendência né? Como se dos do anos '00 tivessem sido feitos principalmente para serem mais pops, com todo mundo jovem e bonito, etc.

      Excluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião! Não se esqueça de marcar a caixinha do 'notifique-me' ou deixar um email de contato para que eu possa te responder.